Voltar
Media

"Falta um plano de médio prazo para investimentos na rede" - Sandra Santos


29 de julho de 2022

Estado e empresas devem adotar uma postura mais ativa face à situação de emergência energética que Portugal e a Europa atravessam.

A curto prazo precisamos de defender a competitividade internacional do tecido empresarial perante o aumento e volatilidade dos preços da energia, e, a médio prazo, devemos acelerar a transição energética.

Na Associação Business Roundtable Portugal acreditamos que o enfoque imediato passa por:

➡ Do lado das empresas, a procura por contratos de energia de longo prazo (10 ou + anos) e adoção de soluções de autoconsumo individual e coletivas (comunidades de energia), bem como de soluções de eficiência energética;

➡ Do lado do Estado, o reforço imediato da capacidade das infraestruturas de rede para permitir aceitar investimentos privados em autoconsumo e PPAs, a facilitação de burocracias e licenciamentos de utilização de autoconsumo, bem como a garantia de manutenção de um mix equilibrado de fontes alternativas de energia para evitar a dependência de uma única fonte de energia.

Para refletir sobre os desafios de médio prazo e outros desafios relacionados com a problemática da energia, Sandra Santos, CEO da BA GLASS e líder do grupo de trabalho da Associação dedicado a esta área, falou ao  numa entrevista que pode ler aqui.


Para mais informação, contacte:

Miguel Jerónimo

mvj@abrp.pt

Sandra Santos, membro da Direção e líder do Grupo de Trabalho Energia, da Associação BRP